quarta-feira, 27 de julho de 2016

Baú na Estrada: Sentido Cor

     Apesar de tudo, é bom perceber que você ficou. Pelos altos e baixos passou, os problemas driblou. Por causa de tudo, talvez. Ao te ver pela primeira - vez - é como se eu soubesse. E, simplesmente, soubesse que depois de tantos nados rasos seria minha vez de mergulhar. Nossa vez. Talvez a proximidade dele tenha atrapalhado um pouco. Sabe como é, a insegurança é aquele vizinho chato de baixo que sempre cutuca o teto com o cabo de vassoura, mesmo quando não tem ninguém em casa. Talvez a proximidade tenha ajudado, enfim.
     Oasis, The Doors, Beethoven. No fim, a identificação tem muito a ver também com a disposição. E a disposição em todas as suas formas. De vontade, de tempo, de interesse. Nada sólido se constrói da noite para o dia, e bom mesmo é ver que a firmeza como consequência das turbulências nos fez ser. Expectativa.
     Desafio 3 era um mistério pra mim. Double Px e duas bolinhas deram efeito reverso. A nova combinação de Stoned Myx e viagens em ritmos fazem mais sentido desde o primeiro olhar. A sensação de saber, de ligar. As duas bolinhas continuam lá. Parte de um complemento então, - não só - alucinação. Cenas, trilhas, fumaças. Sorrisos. Tens um dos sorrisos mais belos e diferentes que já vi. Diferente do ordinário. Diferente porque é apenas a primeira camada, quando costumam camada única ser. Sinto por detrás dessa camada todo um mundo extra - ordinário -. Fumaças coloridas, olhos que rodam, disformidades. Universo paralelo com combinações-chave.
     Sentido zero e, apesar de tudo, você fica. Ficou. Sentido zero? Talvez o sentido esteja exatamente em não fazer sentido algum. Tem coisa que a gente não procura entender. A gente vê, sente e sabe. Por causa de tudo, você.


Esse post faz parte do projeto intitulado ''Baú na Estrada'' em parceria com a Beca, do Café de Beira de Estrada, no qual postaremos em quartas alternadas um texto de acordo com tema sugerido um para o outro.
O texto dela dessa semana você pode ler clicando aqui!

14 comentários:

  1. Meu deus. Eu amo suas palavras.
    Queria colar o texto todo aqui, porque cada pedacinho dele me arrancou daqui e me jogou aí, nos sentimentos escritos.
    "Sabe como é, a insegurança é aquele vizinho chato de baixo que sempre cutuca o teto com o cabo de vassoura, mesmo quando não tem ninguém em casa." quero colar essa metáfora na testa. Ou tatuar no coração, porque meu deus.
    Você é incrível.
    Esse texto é incrível.
    Mil beijos
    Com muito carinho, Beca;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mais incrível disso tudo é você, que foi quem fez acontecer.
      Obrigado pelo carinho de sempre, pela parceria e por me aturar te perturbando.

      Um beijo ♥

      Excluir
  2. Sua escrita me lembrou muito um escritor, mas não consegui identificar quem é rs, mas adorei ♥ "Talvez o sentido esteja exatamente em não fazer sentido algum. Tem coisa que a gente não procura entender. A gente vê, sente e sabe." Amei teu texto, sério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelly! Muito obrigado!!
      Sobre essa frase do sentido, que bom que fez sentido né? hahaha
      Fico feliz que tenha gostado e vê se consegue lembrar o nome do escritor. Se lembrar, me conta aqui!

      Excluir
  3. Aaaah como você escreve bem! Eu nem comento aqui porque o que dizer depois de um texto desses? hahaha! Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah eu sempre gosto quando você comenta por aqui, Vitória! Te coloquei ali no Blogroll do lado, gosto muito dos seus posts hahah
      Obrigado!!

      Excluir
  4. Apaixonada pelo jeito que tu escreve ❤ Texto foda demais, assim como a Beca, gostaria de colar o texto inteirinho aqui rs. Lindo, arrasou com as palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Mariana!! Fico feliz quando alguém se identifica com algo que escrevo. Apareça mais vezes por aqui, hein?

      Um beijo

      Excluir
  5. Você escreve muito bem! Ótimo texto, fiquei encantada!

    ResponderExcluir
  6. Ah, que texto lindo! Adorei como você falou da insegurança, esse sentimento maldito que vive enchendo o saco mesmo quando não tem nada com o que se preocupar. Me bato toda com isso sempre, HAHA.

    Beijinhos.
    http://oohmry.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foi exatamente a idéia mesmo! hahaha
      A gente sempre acaba se deixando levar por esse sentimento, né? Que bom que gostou.

      Um beijo

      Excluir
  7. Lindo! Adoro seus textos, sempre bastante profundos.Rola uma super identificação <3 <3 O último parágrafo resume o que eu estou sentindo ultimamente!

    Beijos

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre fico alegre quando você aparece por aqui.
      Muitas vezes não precisamos dar sentido lógico nas coisas. Nós é que insistimos, né Gabriela? Haha

      Um beijo!

      Excluir