quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Baú na estrada: Prelúdio do Caos - O Resgate de Luna

     - Sabe, eu sempre achei o Natal uma data meio nada a ver. - ela disse, levando um cigarro à boca.

     Irritado, ele arrancou o isqueiro das mãos dela antes que pudesse acender.

     - Merda, Rayna! Quer mandar essa droga pelos ares?

     - Eu já estou de saco cheio de ficar escondida nesse depósito fedido. - ela rebate, andando até um banco de madeira encostado numa das paredes e se senta. - Quando vamos finalmente colocar alguma ação nisso?

     - Essa é a única data que temos em que a vila não estará focada nas defesas. O Natal sempre chega pra todo mundo, é como um acordo mundial de paz. - anda até ela, a encara e devolve o isqueiro. - Ou trégua.

     - Acha mesmo que essa gente vai respeitar isso? O comandante deles é uma aberração! É surreal esperar uma espécie de reconciliação entre os clãs. Especialmente depois do ataque disfarçado na semana do Halloween. Eles estão com as crianças, e se Luna não tiver conseguido se misturar como esperamos que tenha conseguido, tudo isso será inútil!

     - O comandante deles consegue do povo o que quer porque mantém as tradições deles. São um povo extremamente religioso. Essa será uma ''semana de celebração e surpresas incríveis''. - diz em tom de deboche, lendo um panfleto amassado.

     Rayna e Caio conversam em tom baixo, atrás de dois armários de mantimentos num celeiro antigo, usado como depósito pelo Clã Gardestrike. Há cerca de um mês, o comandante quebrou o acordo de união entre os 5 clãs e atacou a vila deles, matando 29 pessoas e sequestrando 9 crianças. As 9 crianças, membros de um grupo seleto de jovens feiticeiros em potencial, recebiam treinamento especial para desenvolver suas habilidades em campo, de acordo com as teorias dos grandes ancestrais. Luna, a herdeira do trono do Clã Seavell, tem uma inteligência muito superior à sua idade aparente. Desenvolveu tecnologias que se fizeram necessárias na defesa de sua vila. Uma vila muito mais avançada tecnologicamente do que sua frágil aparência mostra.

     - Eles não farão mal à Luna. Precisam do seu conhecimento.

     - Ela é só uma menina! Não deveria estar enfrentando esse tipo de coisa. - Rayna altera o tom de voz. - Nenhum de nós deveria!

     - Vamos resgatá-la, e quando dermos fim nessa loucura o acordo de união prevalecerá. Nenhum dos outros clãs ficará contra nós. - Caio está sentado no chão, olhando confiante para Rayna.

     - Algo não está certo... Esse ataque não faz sentido. - ela levanta e começa a caminhar pelo pouco espaço livre na bagunça do depósito. - As movimentações na vila não parecem naturais. Hoje pela manhã, bem cedo, ouvi dois guardas conversando. Eles falavam sobre uma grande virada inesperada. Falavam sobre o lendário livro da primeira comandante. Como se fosse... real.

     - Eles são fanáticos religiosos, Ray. Essas datas mexem mais do que o normal com os poucos neurônios deles. - fala com desdém.

     - Caio, eles falavam sobre uma cerimônia. - diz aflita. - Não dava pra identificar todas as palavras, mas uma cerimônia envolvendo o livro. Envolvendo Luna. Acreditam que esse Natal trouxe a dádiva esperada, o presente destinado.

     - O diário de Gaia é lenda, Ray. Assim como todas as crenças que nos foram ensinadas na infância. Você sabe que muitas das histórias não são verdade. - ele diz, impaciente.

     Ela o encara por alguns instantes antes de provocar.

     - Você não me parece mais tão certo disso.

     Caio se irrita, levanta e caminha depressa até ela. Ao ficar cara a cara, tira um punhal do bolso e aponta para seu rosto.

     - Que se dane esse livro maldito! Não deixarei que encostem em Luna ou em qualquer outra das crianças. Vamos agir essa noite. - ele brada, ofegante.

     Eles se encaram em silêncio enquanto a respiração de Caio volta ao normal. Ele abaixa o punhal e volta a se sentar no chão. Rayna sorri.

-

     Numa sala de estar, um soldado está largado no sofá assistindo televisão. Uma porta se abre atrás dele e outro soldado entra.

     - Já levou a comida das que estão aqui hoje? - ele pergunta

     O soldado do sofá nem se mexe.

     - Tentei levar pela manhã, mas a do olho cinza me atacou e derrubou tudo. Joguei de volta nela e disse que elas não comeriam hoje mais, em castigo pelo desaforo.

     - Já é quase meia-noite! Você sabe que o comandante precisa delas em bom estado. - diz o soldado, que agora está no balcão da cozinha abrindo dois potes cobertos com papel alumínio.

     É uma casa bem simples, de pequenos cômodos. Além da sala/cozinha e do quarto onde as crianças estão, apenas um banheiro no fim do corredor.

     - Não to nem aí. Que morram de fome, não posso obrigá-las a comer. - os olhos imóveis fixados na televisão.

     O soldado pensou em retrucar, mas apenas tratou de arrumar a comida em dois pratos e voltar pela porta de onde entrou.
     A madeira velha do piso da varanda de frente da casa range em resposta a passos pesados, anunciando a chegada de alguém. Pouco antes de sequer baterem à porta, ela se abre revelando o soldado que estava deitado, agora armado.

     - Parece que o Natal se antecipou esse ano. - disse sorrindo e abaixando a arma, dando uma conferida na roupa da Mamãe Noel à sua frente. - Luna, venha ver quem veio nos visitar! - gritou para dentro da casa, segundos antes da bala do revólver do Noel entrar na sua cabeça.



Esse post faz parte do projeto intitulado ''Baú na Estrada'' em parceria com a Beca, do Café de Beira de Estrada, no qual postaremos em quartas alternadas um texto de acordo com tema sugerido um para o outro.
O texto dela dessa semana você pode ler clicando aqui!

29 comentários:

  1. Como não me surpreender com você? Esse seu lado fantasia que não conhecia.

    Fiquei feliz demais quando você me contou que o tema te inspirou a continuar uma história pausada e te deu muitas novas ideias. Mal posso esperar para descobrir tudo o que há por trás dessa amostra que você nos deu. Quero conhecer e amar Luna, Caio e Ray! Me identifiquei, inclusive, com o humor esquentadinho dele hahaha e com a audácia da garota.

    O tema ficou incrível nas suas mãos. Interessante como a religião mexe com as pessoas de tal forma que é tão poderosa quanto a guerra e sua trégua. Tão familiar com nossa realidade, né? E no entanto, gostei do contraponto com o fato de poderem estar usando isso para manipular o inimigo, pegá-los de surpresa (sobre a convicção da Ray).

    Você é 10.
    Mil beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você viu como usei tudo o que você descreveu no tema né? As frases e etc hahaha
      Eu fiquei genuinamente inspirado em continuar com a história. Tava pausada e eu tava cheio de vontade de continuar. Obrigado!

      Tem um mundo de coisas por trás disso, acho bem que vou postando por aqui, hein? hahaha

      Obrigado pelo incentivo, Farb <3

      Excluir
  2. Adorei esse projeto. Essa história poderia virar livro, hein?
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe, né Betânia?
      To bem feliz com a recepção do pessoal. Vamos deixar que a história trilhe seu próprio caminho. Seria interessante. =)

      Beijos

      Excluir
  3. Que escrita maravilhosa, quando o livro for publicado tu avisa, viu?!

    www.andressafigueiredoblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria meu sonho? hahaha
      Logo vem mais um capítulo por aí, fica de olho ;)

      Excluir
  4. Wow, que demais Johnny!
    Gostei muito da sua escrita e como a Betânia disse aqui em cima, essa história pode sim virar um livro, quem sabe um dia não é mesmo?
    Eu sou parceiro de um editora chamada Autografia, eles ajudam autores que querem publicar de forma independente, se quiser é só conversar com eles pelo facebook!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Lucas! Isso é realmente muito legal, viu?
      Te confesso que fiquei mordido. Vou procurar a página deles, quem sabe né? Não custa nada olhar.
      Agradeço muito pela dica! =)

      Abraço!

      Excluir
  5. Uoooou
    Que texto incrivelmente bem escrito!
    Concordo com os comentários anteriores, pode sim virar um livro!
    Tá no caminho certo! ❤
    Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se os próximos capítulos tiverem uma recepção legal assim, talvez seja uma boa idéia né?
      Obrigado!

      Excluir
  6. Gostei muito desse projeto e da história, e, que final, uou. Como o Lukas e a Betânia já falaram, dá uma ótima história pra um livro mesmo rs

    beijos,
    Ultimamente eu andei escutando bastante música da Fifth Harmony, são maravilhosas pra dançar, adoro!

    beijos,
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tava com o link do meu blog salvo, ficou bem bugado e agora que eu percebi. nossa, perdão D:

      Excluir
    2. hahahaha não tem problema!
      Ficarei de olho na idéia do livro. Obrigado, gente <3

      PS: também adoro Fifth Harmony.

      Excluir
  7. Johnny, fiquei surpreendida com sua escrita! Que texto lindo! Concordo com os comentários acima que dariam uma história de um livro! Achei muito boa a ideia do projeto de vocês, continuem enchendo nossos dias de cultura e bons textos ♥

    ResponderExcluir
  8. Esse projeto é incrível e você escreve perfeitamente bem, como todos já disseram acima: essa história ficaria ótima em um livro, eu por exemplo super compraria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se acontecer vou buscar parceria com vocês todos hahaha <3

      Obrigado!

      Excluir
  9. Nossa que projeto legal, quando eu abri a página e comecei a ler achei que era um capítulo de um livro, fui lendo e percebi que não, mas tem tudo para ser um livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bacana! Quem sabe mais pra frente vire um, né?

      ;)

      Excluir
  10. Olá!!


    Nossaa, que maravilhoso esse texto!!! Eu adorei a história me prendeu do inicio ao fim. Eu adorei sua escrita muito legal a forma que construiu o enredo gostei bastante. Já estou seguindo o blog para continuar acompanhando.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karoline!

      Fico genuinamente feliz que tenha gostado e que esteja seguindo pra acompanhar! Logo logo solto coisa nova, prometo!

      Beijos <3

      Excluir
  11. Que texto e esse ? amei , quando vai lançar um livro ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe um projeto paralelo a esse e a idéia de levá-lo pro papel. Masss tudo é possível né, seria bom ♥

      Excluir
  12. Uau hahah
    Que belo texto ♥
    Sua escrita é maravilhosa! Invista nela <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom escrever. Seja conto, algum texto ou história assim.

      Obrigado!!

      Excluir
  13. Primeiramente gostaria de dizer que achei seu blog muito aconchegante e que vc parece ser uma pessoa muito legal, além de ser criativo.
    Achei esse projeto muito bacana, e concordo com o que falaram nos demais comentários, você deveria escrever um livro, eu seria a primeira a compra-lo <3

    Muito sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sammy!

      Primeiramente: seu nome é maravilhoso. Uma das melhores pessoas da minha vida tem esse nome também e é <3
      Fico muito feliz que tenha gostado daqui e do projeto. Apareça mais, tem muita coisa legal guardada pra sair desse baú.

      Beijos

      Excluir
  14. É história para livro, já pensou nisso?! Muito bom! Tem continuação? Quero saber o que acontece hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha... eu to considerando, viu? hahaha
      Tem continuação sim. No início de fevereiro vou postar mais um capítulo!

      =)

      Excluir